As Tartarugas Ninjas na Image Comics


Para estrear essa coluna sobre “Gibis que (provavelmente) nunca serão publicados no Brasil” escolhi um grupo de personagens que fez o maior sucesso no fim dos anos 80/início dos 90: As Tartarugas Ninjas!

Em 1994, após ter passado auge de sua popularidade, as Tartarugas Ninja já haviam estrelado três filmes e estavam com uma série de TV pronta para ser produzida. A fim de recriar a onda das personagens, Erik Larsen (sócio da Image comics) adquire os direitos de publicação para uma nova série em quadrinhos das tartarugas mutantes. Após a bem-sucedida publicação de uma mini-série (TMNT: Bodycount), participações especias na revista The Savage Dragon e com o aval de seus criadores (Peter Laird e Kevin Eastman), a Image prometia uma série atualizada aos anos 90 com o respeito e a atitude que as Tartarugas Ninja mereciam (em outras palavras: violência).

Ação foi foco principal da série, logo na primeira edição, na primeira página, vemos Donatello ser alvejado por um ciborgue durante o seu aniversário e mais tarde cai de um helicóptero em pleno ar que faz com que seu casco seja quebrado o tornando tetraplégico, no fim do mesmo gibi Raphael recebe um tiro no rosto que o desfigura. Nas edições seguintes Donatello se torna uma Tartaruga Ninja Ciborgue, Raphael passa a usar a máscara de Casey Jones para esconder seu rosto deformado e o Mestre Splinter sofre uma mutação que o tranforma em um morcego vampiro. Tudo isso ocorre nas cinco primeiras edições, em um ritmo bastante rápido e direto em que o leitor nem tem tempo para respirar.

Posteriormente fomos apresentados à filha de Casey Jones e April O’Neil, uma participação de Savage Dragon, um romance para Michelangelo, Leonardo perde um braço e Raphael se torna o novo Destruidor (líder do Clã do Pé) dentre diversas outras surpresas que deixavam a série mais interessante a cada edição.

Apesar de ter radicalizado quanto à aparência das Tartarugas, Gary Carlson manteve a personalidade das personagens intocadas: Raphael ainda era um cabeça-quente, Leonardo o líder, Donatello o gênio e Michelangelo o divertido. O bom humor também esteve presente, mas ainda estava bastante longe das Tartarugas Ninja que fez sucesso na TV, em uma das edições é publicada uma carta de uma mãe que alega ter comprado a mini-série TMNT: Bodycount para seu filho por este amar as TMNT dos desenhos, ter ficado chocada com o alto indíce de violência da série, sugerindo seu cancelamento.

Os desenhos de Frank Fosco estavam longe de serem detalhistas, mas davam uma ótima contribuição ao tom da série, abusando de sombras e luzes ( a série era publicada em preto-e-branco), embora algumas vezes cometesse alguns equívocos (Rapahel com nunchucks, etc.).

A Image apesar de ter dado um corajoso passo ao tentar revitalizar a franquia, teve de cancelar o título após 25 edições devido à baixas vendas. Uma pena que esta série seja um gibi que (provavelmente) nunca será publicado no Brasil…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

5 thoughts on “As Tartarugas Ninjas na Image Comics

  1. Queeeeeeeeee tal?
    Ótima idéia da coluna. Quem sabe teremos um American Flagg aí uma hora?

    Grande abraço e parabéns.
    OPN!

  2. Com muita sastifacäo que parabenizo vocës pela iniciativa de ser informar sobre o melhor
    anime dos tartaruga ninjas…. espero que tenha a oportunidade de ver os exemplares algum dia
    nem que seja pela internete.

    Grande abraco e parabens..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


This blog is kept spam free by WP-SpamFree.