Top 10 Melhores Histórias da DC Comics de Todos os Tempos

O website FastTopTen reuniu uma lista com aquelas que eles consideram as dez melhores histórias da DC Comics. E nós, aqui do Superscans, traduzimos a matéria para você curtir. Não esqueça de deixar sua opinião nos comentários, ok?

10. Crise de Identidade

crise de identidade

Um título que certamente causa controvérsia nas comic shops e porões mundo afora, é Crise de Identidade. Alguns fãs acham sua trama detetivesca demasiadamente psicologicamente sombria onde encontram seus personagens favoritos cometendo atos atrozes. Deixando as caracterizações de lado, Crise de Identidade é uma grande virada de página com grandes efeitos nos personagens do Universo DC. Brad Meltzer é bastante conhecido pelas seus romances de suspense e Crise de Identidade funciona muito bem com personagens que são desde detetives até espiões da guerra fria. O mistérios sobre quem matou Sue Dibny, a esposa do Homem-Elástico, o faz tentar adivinhar o assassino até o fim. Esta é uma história obrigatória para os fãs do Batman, Arqueiro Verde, Flash e Zatanna. A luta da Liga da Justiça contra o Exterminador é uma das melhores já mostradas nas histórias em quadrinhos.

9. SJA: A Era de Ouro

era de ouro

Se não fosse por SJA: A Era de Ouro, a DC nunca teria James Robinson em uma ótima fase em Starman ou o melhor trabalho de Geoff Johns, sua fase em SJA. Tecnicamente, esta é uma história da série Túnel do Tempo (ou Elsewrolds), mas conseguiu levar aos leitores da DC o que eles estavam buscando desde Crise nas Infinitas Terras. James Robinson trouxe a SJa de volta ao universo DC em grande estilo. Possivelmente tomando alguns aspectos emprestados de Watchmen, esta história de Macartismo pós Segunda Guerra acaba envolvendo todos os personagens clássicos da SJA, incluindo alguns que foram afetados, para melhor ou pior, pela grande guerra. Starman ajudou a criar a bomba atômica, um Homem-Hora viciado em drogas e espere até você descobrir o que aconteceu com Tex Thompson e Dan Dinamite. A única coisa errada com A Era de Ouro é que não acabou virando uma série mensal.

8. Asilo Arkham

asilo arkham

Mais uma obra de arte de Grant Morrison, Asilo Arkham acaba se tornando mais sombrio e perturbador que O Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller. O último, ou aquele que deveria ser o último, período sombrio dos quadrinhos de super-heróis, explora os vilões e heróis de forma tão profunda e psicológica somente comparada com Watchmen de Alan Moore. E quanto à arte? Bem, se você ainda não viu as ilustrações de Dave McKean ao melhor estilo Ralph Steadman, prepara-se para ter uma grata surpresa. A única crítica possível a Asilo Arkham é que a arte é tão incrível que acaba distraindo você da história e que sua trama é experimental demais e uma série de eventos de menos do que uma coleção de perfis de personagens.

7. Batman: o Longo Dia das Bruxas

batman longo dia das bruxas

Batman: O Longo Dia das Bruxas, escrito por Jeph Loeb e ilustrado por Tim Sale é uma grande combinação de arte e roteiro matadores. Esta história de máfia, à lá filme noir, é contada com cores vibrantes e de grande contraste. A trama gira em torno de uma guerra de gangues que inclui a queda de Harvey Dent e um romance entre Batman e Mulher-Gato. Alguns apontam O Cavaleiro das Trevas, Asilo Arkham e a Piada Mortal como superiores ao Longo Dia das Bruxas, mas nenhum destes títulos possuem a sinergia mostrada na colaboração superior entre Loeb e Sale.

6. Grandes Astros Superman

grandes astros superman

Grandes Astros Superman é talvez o mais adorado de todos os trabalhos de Grant Morrison. Asilo Arkham foi a graphic novel mais vendida de todos os tempos mas foi somente um canal para Morrison exercitar todas as energias negativas deixadas nos quadrinhos pelo Cavaleiro das Trevas de Frank Miller. Grandes Astros Superman tem de tudo: drama, comédia, romance, idealismo, esperança e bastante maluquices da Era de Prata. A arte de Frank Quitely é limpa e afiada e as cores brilhantes e vivas complementam perfeitamente esta bela, nova e espirituosa mitologia. Esta é a versão moderna de ficção científica dos Doze Trabalhos de Hércules.

5. Os Novos Titãs: O Contrato de Judas

novos titãs contrato de judas

Este clássico possui tantos elementos em sua trama que os novos leitores da DC conseguem encontrar em qualquer título atualmente. Dick Grayson torna-se o Asa Noturna. O Exterminador mostra porque é o maior estrategista do universo DC. Os Titãs são traídos por um dos seus, Terra. Uma narrativa madura demais para um título considerado ‘jovem’ e a arte detalhista de George Perez e Dick Giordano. Na época de sua publicação, Os Novos Titãs da DC e os X-Men da Marvel competiam acirradamente pelo mercado, mas o Contrato de Judas é um marco para qualquer uma das duas séries. ao contrário da Saga da Fênix Negra nos X-Men, o Contrato de Judas envolve uma traição real em vez de lavagem cerebral ou controle mental. O Contrato de Judas é uma excelente história de suspense. O roteiro funcionaria igualmente bem em qualquer ambientação, seja durante a segunda guerra mundial ou em um filme sobre a máfia dos anos 1970. Histórias tão boas assim não são concebidas a toda hora.

4. Batman: A Piada Mortal

batman piada mortal

Alan Moore é melhor lembrado por Watchmen, V de Vingança, e A Liga Extraordinária mas seus trabalhos com personagens clássicos da DC estão entre os seus melhores. Suas histórias lendárias ainda definem o universo DC, incluindo Para o Homem que Tinha Tudo, Mogo Não se Socializa e o adeus ao Superman da era de ouro em O que Aconteceu ao Homem de Aço? Enquanto todas estas histórias são fantásticas, nenhuma delas definem um personagem e podem ser comparadas a intriga sombria mostrada em A Piada Mortal. A origem do Coringa nos mostra como qualquer um de nós pode cair em desgraça em apenas uma dia e obtém sucesso ao mostrar um personagem ilógico com uma história tão afetiva. Moore até permite ao Batman e ao Coringa riem de uma piada juntos. A Piada Mortal inspirou toda uma geração de fãs, incluindo Tim Burton e Christopher Nolan. Brian Bolland desenha o Coringa icônico mas as cores são suavizadas para tons de roxo e verde.

3. DC: A Nova Fronteira

dc nova fronteira

Por onde começar quando discutimos sobre DC: A Nova Fronteira? A linda arte no estilo da era de prata? A fantástica exploração de personagens das eras de ouro e prata? O cenário maduro e aprofundado da guerra fria? Darwyn Cooke coloca uma bela narrativa dos quadrinhos atuais em um cenário antigo para contar histórias que deveriam ter sido contadas. Esqueça retcons ou múltiplas terras, Cooke usa os personagens da forma que foram originalmente criados, porém para histórias espetaculares. Cooke possui um conhecimento enciclopédico do universo DC e utiliza isso para incorporar uma grande variedade de personagens clássicos à trama. Um momento especial é o relacionamento da Mulher-Maravilha com um grupo de mulheres afetadas pela guerra na Indochina. Em DC: A Nova Fronteira, todos e cada membro da Liga da Justiça clássica conseguem brilhar.

2. Batman: Ano Um

batman ano um

Está bem, o Cavaleiro das Trevas não está nesta lista. Sabe por quê? Em toda a sua glória e fogo, O Cavaleiro das Trevas não é realmente uma história. Em vez disso, O Cavaleiro das Trevas é uma coleção de cenas justapostas que não se constroem. Em outras palavras, não existe uma trama que leva diretamente a outra e assim por diante. As cenas em Cavaleiro das Trevas são fantásticas mas elas não se constroem como uma história assim como outros trabalho de Frank Miller com o Batman. Batman: Ano Um mostra um Batman totalmente ligado à realidade. Ele possui cinto com bolsos e botas com sola de borracha. Seu informe parece sombrio, isso quando possui luz o bastante para que alguém possa vê-lo. A arte de David Mazzuchelli mostra Batman como uma forma, uma silhueta. Isso, porém não torna o Batman unidimensional, como ele fez em Cavaleiro das Trevas, mas como um ser humano normal. O relacionamento de Batman com James Gordon nunca foi tão bem explorado em qualquer outro título ou história do Batman.

1. O Reino do Amanhã

reino do amnhã

O Reino do Amanhã é a perfeita combinação entre a arte brilhante e épica de Alex Ross e uma história igualmente épica de Mark Waid. Justiça (outro trabalho de Alex Ross) é tão bom quanto este em termos de arte, mas a história parece pequena demais para seus grandes e belos painéis de pintura. Mostrando uma geração após a do universo DC atual, Reino do Amanhã é uma história que gira em torno da aposentadoria do Superman, a morte do Coringa, heróis adolescentes agindo de forma inconsequente e o que acontece quando a linha entre o heroísmo e a vilania é borrada. O design dos personagens e suas histórias futuras são captadas de forma brilhante desde o Batman liderando um grupo de robôs patrulheiros até o Flash ter se tornado a própria força da velocidade. O Reino do Amanhã é o sonho dos fãs da DC se tornando realidade incluindo diversos segredos escondidos e surpresas como a aparição do Coruja e Rorschach de Watchmen. Ah, o Superman e o Capitão Marvel promovem uma gigantesca batalha.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 thoughts on “Top 10 Melhores Histórias da DC Comics de Todos os Tempos

  1. No caso é apenas as histórias normais de heróis, né? Mas trocaria de lado A Era de Ouro e A Nova Fronteira, simplesmente pelo fato de A Nova Fronteira ser uma sequência de A Era de Ouro, e ao mesmo tempo ser muito similar com Watchmen, só tirando o lado sombrio dos heróis!!!!

  2. Gostaria de agradecer a matéria traduzida, e dizer que li a HQ reino do amanhã, FODA, nunca pensei que uma estoria de super-heroi pudesse ser tão densa, dramatica, e cheia de questionamentos pertinentes dentro dessa obra de ficcão, recomendo a quem estiver a procura de uma boa obra para ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


This blog is kept spam free by WP-SpamFree.